PASSO A PASSO

2016-07-08

À noite mata



ATENÇÃO: Esta é uma estória verídica que
tem como protagonistas exclusivos
o autor e dois dos seus netos e aconteceu
 em minha casa aqui ao Lumiar em Lisboa
. Não querendo enfatizar a importância dos dois
malandros que formam o par com
 que me defrontei (e eles merecem que não
 os ignore), tenho de confessar que um deles
 foi o actor principal foi enredo acompanhado
 do outro; o infeliz fui eu. Muito obrigado




Antunes Ferreira

H

á quem diga que há tempo para tudo: trabalhar (coisa que cansa muito), estudar (que não cansa menos) brincar, namorar, amar, comprar e vender, ler e escrever; mas não se pode ignorar que também o há para comer. Aliás este verbo transitório tem muito que se lhe diga. Comer é essencial para a vida de um qualquer animal incluindo, claro, o inteligente. Come-se quase tudo. Os chineses dizem que uma coisa com quatro patas e que não seja uma mesa, eles comem e uma coisa que voa, exceptuando um avião, também eles comem



C
oncluindo: a laranja obviamente come-se; depois de descascada, os gomos são uma 
delícia. Eu, pelo menos penso assim; mas tenho a certeza que muito boa gente-esta comigo neste particular, ou seja comer laranjas. No entanto também existe muito pessoal que não participa nesta posição; por exemplo os que não gostam delas, e os que até as odeiam. Costumo dizer que toda a regra tem excepções.

O descasque prévio



D
epois destes prolegómenos, o motivo que me traz aqui a estacada é justamente o comer laranjas. Explico: estava eu, depois de um jantar opíparo de malga de sopa de legumes, sem batata, os dietistas e os naturalistas são cada vez mais perigosíssimos, acompanhado de meia fatia de pão integral, preparando-me para comer uma laranja. A preparação inclui naturalmente o descasque prévio; porém já o fizera e estava prestes  a engorgitar o primeiro gomo quando chegaram o Rodrigo e o Vicente que como habitualmente estavam na nossa casa o que a Raquel e eu adoramos.


C
omeçou então um drama existencial que feliz e obviamente não meteu agressões muito menos armas brancas ou pretas, não sou adepto de quaisquer apartaides. Apenas um impositivo, avô não faça isso! E o primo e companheiro de pleiseteichões, Vicente, mirava-me com ar suspeito embora complacente. Essa gora, por que bulas não hei-de comer tranquilamente uma laranja? Pois se até a Dona Amélia dietista ma aconselhou, disse-me que o posso e devo fazer porque contém fibras poucas calorias, a volta de cinquenta e…

À noite mata...



R
odrigo interrompeu-me: avô não se trata disso, eu bem sei os benefícios da laranja (o tipo já fez o segundo ano da Faculdade de Motricidade Humana e não sei mais quê que no antigamente era o INEF e que depois escolheu a especialidade de treinador de futebol (argolada: é coisa que há mais do que advogados no inferno...) E o moço explicou todo impante: de manhã a laranja é ouro; à tarde é prata e à noite mata! Abri a boca – sem meter o gomo, pelo sim, pelo não – e perguntei-lhe onde é que ele aprendera isso. Em Estremoz em casa do avô Parreira. (que é o pai da Margarida casado com o meu primogénito Miguel, logo avô do Rodrigo e do João e por isso meu compadre, aliás muito fixe)   


J
á não se pode confiar em ninguém nem na própria sombra, assim vai o mundo. A nomeação do Senhor Dr. Durão Barroso para presidente não executivo do banco que manda no Mundo, ou seja o Goldman Sachs, é disso exemplo flagrante.  No caso vertente não podia dizer que não confiava no meu compadre Parreira, pois ele podia melindrar-se, embora não creia nesse melindre. Perante o dilema como ou não como retirei-me para a cozinha onde muitas vezes tomamos as refeições e regalei-me com a laranja da Bahia (sem grainhas) que é uma falsidade pois ela vem do Algarve.






14 comentários:

  1. Boa tarde, amigo Ferreira, se a laranja vai do Algarve, significa que recebe a melhor laranja do mundo, esta não tem rival, é somente a melhor laranja do mundo, tem duvida? conheço o ditado popular "de manhã a laranja é ouro; à tarde é prata e à noite mata!" se fosse verdade eu já tinha morrido, como sempre laranja e só do Algarve de noite.
    Bom fim de semana,
    AG

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gomesamigo

      Claro que é e claro que veio; pelo menos é o que diz a Dona Helena patroa da furtaria & etc. onde compramos a dita cuja (a laranja não a Senhora).

      Pois eu, caríssimo António, não conhecia; o que acontece é que faço inzatamente o mesmo e não conta - pelo menos até agora - de que tenha morrido... :-)))

      Abç do Leãozão e que o Cristiano nos cubra (???) de bençãos

      Eliminar
  2. Henriquamigo:

    As laranjas de certeza que não matam, já o Durão, não sei não :D
    As coisas que metem na cabeça dos netos :)

    Um beijinho para toda a sua família

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fernandinhamiga

      O desaforo do cherne são outros quinhentos malréis. O compadrio é sempre pago, mesmo que seja com o sangue dos desgraçados.

      A laranja é outra coisa, é bué da fixe. Como-as a toda a hora, se for preciso de madrugada - e me souber bem, o que sempre me acontece... :-)))))

      Eliminar
  3. Essa do sumissimamente balofo, apelidado de laranja genuína por via da casca grossa que adquiriu com o tempo mas por dentro é a putrefacção. Não é, seguramente, destes reinos de Portugal e dos Algarves. Uma gota que seja é mais perniciosa que uma picada de cascavel, de manhã, ao meio dia e à noite. E tem um guizo do caraças pago nem sei por quem...
    A da Bahia podes comer sem restrições. Só o prazer de descascá-la faz bem à saúde.

    Abraço, Leãosão. c'um caneco!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agostinhamigo

      Poizé. Sempre disse não há nada que mais me consuma do que esfregar e não fazer espuma. No concernente à consumação, ela tem suma e não faz a ninguém muito menos ao gato das botas de sete léguas.

      Todos temos o direito (foi dias...) de comer o que quer que seja e onde quer que seja; mas não convém habituar-se pois pode acontecer o que aconteceu ao macaco face a laranj... oops, banana.

      Daí que se possa dizer que a banana não tem caroço não tem não tem; é como a carne sem osso não tem caroço mas sabe bem. E por aqui me fico

      Abç do Leãozão que vai dormir para não azar ao jogo, caneco!

      Eliminar
  4. Conheço o ditado :) mas até agora, e posso afirmá-lo sem dúvidas, entre todas as laranjas que comi à noite, nenhuma foi agressiva!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gábiamiga

      As laranjas são excelentes e não matam ninguém! Os laranjas não têm nada que ver com as...

      Bjs da Raquel e qjs do Leãozão pior que estragado com a lesão do Ronaldo!!!!

      Eliminar
  5. É por essas e por outras que eu, laranjas, só disfarçadas de banana da madeira, apesar do Alberto

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Raposamigo

      ...Disfarçadas de bananas da Madeira, apesar do Alberto Ganda comentário. Obrigado

      Abç do Leãozão

      Eliminar
  6. É por essas e por outras que eu, laranjas, só disfarçadas de banana da madeira, apesar do Alberto

    ResponderEliminar
  7. Fui criada com esse adágio popular e a sabedoria
    popular não engana - a laranja é mais saudável de
    manhã.
    Lembro-me que um dia escandalizei a família reunida
    numa enorme mesa, no verão, ao dizer que já tinha
    comido uma laranja à noite...
    Todos os olhos espantados olhando para mim, como
    se fosse uma suicida tresloucada...
    Belos tempos, esses, em que meus pais presidiam
    às refeições...

    Beijinhos para ti e tua Raquel.
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Madrinhamiga

      Gosto de laranjas durante todo o dia e em todos os dias. Não me preocupa, juro que não, o adágio popular. O que me preocupou, mas só um bocadinho, foi o Rodrigo o saber com a cumplicidade do Vicente... :-))))

      Tens carradas de razão - ... em que os nossos pais presidiam às refeições

      Mas, basta de saudosismos, que não têm nada que ver com a saudade...

      Bjs da Raquel e qjs do afilhado Leãozão

      Eliminar