PASSO A PASSO

2016-05-29

Testículos
ou tomates


Antunes Ferreira
N
a sala de espera do dentista onde me encontrava desde o Quaternário (impressão minha dada o atraso do ilustre clínico pois a consultava marcada para as 15:00 TMG e com o decorrer lento do tempo, já eram 22:30 também TMG) entrou um senhor preto de sobrancelhas brancas, de óculos escuros, idoso, vestindo um fato branco e sobraçando uma pasta Camel de cabedal puro. Do animal que o fornecera bem contra vontade, eu não fazia a mínima ideia; não sou especialista em couros, mas posso afiançar que não era imitação em plástico.

A
 empregada do atendimento, perguntada pelos doentes se o doutor já chegara, há horas que respondia que não, mas estava quase. Havia mais pessoas à espera do odontologista todas com cara de caso, lendo as tradicionais revistas de há dez meses – se não mais – jogando em smartfones, telefonando para um familiar que se encontrava na Patagónia, alguns ouvindo música através de auriculares, outros ainda classificando o atrasado com vocábulos impublicáveis mas com os quais  as parceiras e os parceiros concordavam. Enfim, o habitual.
Um senhor preto


O
 senhor preto que entrara (que em linguagem politicamente correcta devia ter chamado africano, mas há-os também brancos, mestiços, mulatos e similares, por isso fico na minha e também porque sei que negro nos EUA é pejorativos, eles dizem black people) depois de se ter informado na menina do balcão deitou os olhos pela assistência em busca de cadeira. Mas, ai, estavam todas ocupadas…; por via disso o cliente num gesto de grande dignidade e alguma esperança decidiu-se por esperar de pé.

N
o assento ao lado do meu encontrava-se um sujeito da minha colheita de quarenta que falava em decibéis bastante menos simpáticos. De quando em vez baixava o tom da voz e consultava o relógio, aliás um Rollex verdadeiro e em ouro, e murmurava um qualquer comentário mas mesmo assim perfeitamente audível. O médico atrasado creio que não gostaria de ouvi-lo até pelos calões que o cavalheiro usava. No entanto ouviam-se uns tem toda a razão.

Torquemada num auto-de-fé


A
 empregada levantou-se e foi abrir a porta de entrada pela qual penetrou um homem com cara de assassino, ainda por cima mal disposto: era o estomatologista. Nem as boas noites deu, muito menos pediu desculpa do atraso. Há homens assim e por isso falei com os meus botões que o senhor Darwin tinha razão. Entrou no seu gabinete do tipo inquisitório qual Torquemada preparando mais um auto-de-fé.

M
esmo assim renasceu a esperança no atendimento embora bastante tardio e a gente entreolhou-se; uma senhora obesa avançou convictamente: era a primeira da lista de marcações que um computador apresentava. Nisto tocou o intercomunicador, a empregada travou a cliente e chamou o senhor de fato branco. Fechada a porta do consultório já com o cidadão lá dentro, o meu colega de assento falou alto e bom som que andara na guerra do Ultramar e para ele os pretos apenas eram alvos das G3.


Que uma mina...
N

ão se ouviram aplausos mas a concordância era evidente; porém a recepcionista respondeu que o senhor de fato branco e pasta Camel também andara na guerra colonial vestindo a farda do exército português e fora lá que uma mina lhe partira os maxilares e arrancara quase todos os dentes por ter-lhe rebentado na cara. E acrescentou que ainda fizera mais estragos: cegara-lhe uma vista partira-lhe uma perna e também ficara sem os testículos. Por isso passara à frente da restante clientela. Fez-se um silêncio na sala. E do fundo dela surgiu uma voz: agora é que vamos ver quem tomates - pretos?’ 

44 comentários:

  1. FerreirAmigo,
    Então desgraçado deixou uma (duas!!) recordações em África???
    -SE!!!!! :)))
    Aquele abraço para ti, beijinhos para a Raquel, boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Coimbramigo

      Registo com aplausos e apresento proposta de comentador honnoris causa, pela gentileza, aprumo, idoneidade e apreço com que Vossa Insolência comentou no local certo - aqui. Muito obrigado.

      Em devido tempo, o mesmo será daunladado ao Senhor Professor Doutor Nuno Espírito Santo, nos termos do disposto no artº 890321, § 24 para os devidos efeitos.

      Quanto ao Senhor dos col...chões foi o que pôde arranjar. Ver resposta abaixo à Mariazitamiga

      Qjs para as tuas três mosquiteiras e abç para tu

      Leãozão

      Eliminar
  2. Olá, Ferreira
    O que mais me impressionou nesta interessante história foi a admirável paciência das pessoas que aguardaram das 15 até às 22,30 (no mínimo) numa sala de espera! Por muito menos tempo uma vez eu bati em retirada, e noutra ocasião perguntei ao médico a que preço me iria ser pago o tempo que perdi na sala de espera. Mas isto são outros carnavais...
    Quanto ao senhor preto de branco... lamento muito o que lhe aconteceu. Do mesmo se queixa muita gente, preta e branca (o meu falecido marido passou quatro anos em zonas de intervenção, em Angola e em Moçambique, e eu na retaguarda...) sei bem do que falo... Portanto, se esse senhor estava aflito com dores... deveria haver uma explicação/pedido aos outros doentes para que ele fosse atendido em primeiro lugar. Mas só e apenas isso! Se não... tinha só que esperar pela sua vez.
    Desculpe se lhe pareço um pouco dura, mas tenho por hábito dizer o que penso. E não pense que sou racista. NÃO SOU! Mais. O meu criado, quando vim de Angola, despediu-se de mim no aeroporto, lavado em lágrimas, e o de Moçambique queria que o trouxesse comigo...
    Por alguma razão seria...
    Desculpe, acho que me alonguei demasiado...

    Votos de uma semana muito feliz.
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mariazitamiga

      Não tenho de desculpar nada; destes comentários inteligentes e longos, mesmo um pouco duros (não acho...) sou fã. O que não quer dizer que não aprecie também os mais pequenos (refiro-me aos comentários.senão arrisco chamarem-me pedófilo... :-)))

      Também andei por Angola de camuflado. Cumpri cinco anos de serviço militar obrigatório e até cheguei a tenente miliciano sem saber ler e escrever... :-) Mas, isso foi por motivos políticos pois SEXA ministro do Exército, general Joaquim Luz Cunha chamou.me comunista. Que não era, mas não me caíam os parentes na lama se o fosse. Era do contra e talvez (como ele ainda me chamou...) um perigoso subversivo que talvez fosse...

      Quando comecei a escrever o texto tinha uma ideia na cabeça, que aliás eram... duas: criticar a falta de educação que reina em boa parte dos cidadãos e criticar ainda a guerra colonial na qual infelizmente participei.

      O resto é invenção pura; e de acordo com a tradição, estas coisas resultam de 10% de inspiração e 90% de transpiração.

      Foco muito feliz por te ver aqui; vamos continuar a dialogar e, se calar, a polemizar. Por mim estou sempre pronto... :-))))

      Qjs do Leãozão

      Eliminar
  3. Dei logo de caras com os testículos do jovem grego, Henrique, valeu a pena a entrada aqui.

    Criticar a falta de educação que reina em boa parte dos cidadãos portugueses é sempre uma boa ideia.

    Quanto à guerra colonial não participei. Felizmente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Teresinhamiga

      Num país em que faltam tomates, os da estátua dão o exemplo de bem cavalgar toda sela como disse o D. Duarte I.

      Diz-se muito civismo e concordo; mas na base dele está uma coisa que muito falta - a boa educação... :-((((

      Qjs do Leãozão

      Eliminar
    2. Essa "de bem cavalgar toda sela" lembrou-me os meus tempos de menina e moça, tempos em que os testículos me eram tabu, eu era uma menina exemplar.

      Agora, Leãozão, só me interessa saber quando esses teus tomates ficam maduros. Os tomates plantados no meu jardim são de origem sueca e uma verdadeira delícia.

      Bom fim de semana.

      Eliminar
  4. O quê?! Com tantas clínicas dentárias que brotam que nem cogumelos por esse país fora e estiveram horas e horas à espera de um antipático desses?! JAMÉ!!!

    Agora o senhor do fato branco... coitaaaaaado!

    Beijinhos a abraços para o Leãozinho & Cª Ldª...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Carolamiga

      Poizé, há tantas clínicas e tantas salas de espera... E tantos sapateiros que dizem que são dentistas...

      Quanto ao senhor dito cujo, coitado? Cuidaaaado!

      Bjs & qjs dos Ferreiras

      Ass) Leãozão

      Eliminar
  5. Respostas
    1. Chicamigo

      Rs rs rs - mas deve ter dorido para ca...

      Folgo em te ver por aqui, pois penso que há sempre uma primeira vez :-)))))

      Estou a tratar com a ajuda dos meus assessores/netos da estória do Facebook

      Bjs da Raquel e abç do Leãozão

      Eliminar
  6. Não é, nos tempos que correm, compreensível que o sr. em questão não tenha ainda feito um transplante, suprindo assim uma deficiência que eventualmente lhe permite passar à frente da fila.
    Por outro lado, quem espera tantas horas bem que merece ser ultrapassado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Raposamigo

      Estou inteiramente contigo. Mas, quem sabe se o senhor de fato branco tinha €€€€€€€ para pagar o transplante.

      Sobre a ultrapassagem não respondo, apenas lembro que amanhã começa a carta por pontos... :-))))

      Abç do Leãozão

      Eliminar
  7. Não é, nos tempos que correm, compreensível que o sr. em questão não tenha ainda feito um transplante, suprindo assim uma deficiência que eventualmente lhe permite passar à frente da fila.
    Por outro lado, quem espera tantas horas bem que merece ser ultrapassado.

    ResponderEliminar
  8. Nossa como está lindo o seu blog, foi brincadeira e só que me assustar? Não falou nada da minha postagem, mas só me deixou nervosa.
    Beijos
    Minicontista2

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dorliamiga

      Como vês não te esqueci. Mas no meio de tanta confusão... Mas não precisas de estar nervosa... :-)))

      Qjs do

      Leãozão

      Eliminar
  9. Bem, consegui salvá-lo, vejam só, mesmo depois de ele, o Henriquinho, ter tomado aqueles venenos todos, se ter enforcado, deitado da Ponte Salazar abaixo - pronto, já sabia, ficou, no mínimo com mta aziaaaaa, a ordem dos fatores pode ser trocada, k o resultado não se altera, comutativamente.

    Meu querido,

    como está... como estão... desde k fui operada a, c acento grave, mão dta por Contratura de Dupuytren, veja bem com k homem me fui meter - não consigo ainda fazer alguns sinais de pontuação e a falta de letras maiúsculas, daí, reticencias e mais reticencias, acentuadas e não acentuadas. Assim sendo, está explicado o meu deficitário comentário. tenho de escrever com a goche. veja bem ao k eu cheguei e o k o destino me reservou.

    eu não dou tolerância, nem de ponto, nem de consultas e nem de mtas coisas. as pessoas tem, c acento circunflexo, direitos e deveres, portanto, um ligeiro atraso compreende-se, depois de justificado, embora possa corresponder a uma mentira, mas houve uma explicação para... mas moita carrasco, NUNCA.

    pobrezito do homem preto de e no branco. bem, mas quem vai a, c acento grave, guerra, dá e leva. espere, meu amigo, não é isso k está já a pensar. quero dizer com isto, k está sujeito a ferir e a ser ferido, a decepar e ser decepado e a matar e a ser morto.

    Qto a, c acento grave, erros meus, má fortuna, amor ardente, entre aspas, questão aqui colocada, respondo-lhe k prefiro tomates na salada e testículos em ... olhe, esqueci-me do k ia escrever. ai, a idade, a idade...

    gosto mto de vir a, c acento grave, NOSSA TRAVESSA e k travesso k o menino é, mas convido-o, tb, a ir ao meu CÉU. ACEITA? Ah, eu sabia k tinha tomates, no frigorífico, claro.

    beijinhos para tous les deux.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Céuzitamiga

      A falta de ´´´´````~~~~^^^^ torna o teu comentário muito interessante, mas também muito intrigante. Embora a menção do til etc. alivie o leitor que tenta interpretar, como é o meu caso, o que não admira porque sou duro de cabeça e quase iletrado...:-))

      Finalmente, depois de muita atenção e persistência, vim a descobrir que o texto comenta os tomates; os meus não estão no frigorífico - estão no local onde têm de... estar.

      A propósito dos ditos aqui vai uma estória:

      "Uma senhora fina tinha no quintal dela uma plantação de tomates que era uma desgraça; quando começavam a ficar maduros vinham os pardais e picavam tudo.

      Ao lado dela tinha um vizinho que também se dedicada ao tomatecultivo e no seus tomas nenhum pardal picava. Raio de apartheid !

      Um dia perguntou ao vizinho o porquê dessa discrepância. E ele informou-a que tinha na arrecadação uns tomates em chumbo perfeitos as aves tentavam pica-los, os bicos delas iam pró galheiro. E só depois nasciam os verdadeiros.

      Era na vila que comprava as imitações perfeitas na loja de ferragens do sr. Matias. Ela foi lá e estava o Matias sentado atrás do balcão de atendimento. O homem levantou-se com muita dificuldade:

      - Dona Albertina o que deseja?
      - Senhor Matias tem tomates de chumbo
      - Não; é o maldito do reumático


      Bjs & qjs da Raquel e do Leãozão

      Eliminar
  10. Epá não conhecia isto.
    Do que li, prefiro os tomates
    recheados, de preferência.
    Note!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tristanamigo

      Agora já conheces, muito obrigado pela visita e pelo comentário.

      Eu também aprecio tomates recheados com carne de porca picada e misturada com muitos temperos sem que faltem os piri-piris. A minha mulher é goesa...

      Abç do Leãozão e volta depressa que estás a agradar

      Eliminar
  11. Esse doutor não deveria ter pacientes nenhuns! É inconcebível essa má gestão de tempo.
    Quanto a passar à frente....discordo! Com ou sem dentes espere pela sua vez.
    xx

    ResponderEliminar
  12. Papoilamiga

    Poizé. Mas o fato (filho da mãe do terrível acordo) facto é que tinha a sala repleta.

    Quanto ao senhor preto de facto (porra para o famigerado acordo) fato branco com eles ou sem eles, como era o caso tinha de ir prá bicha, digo, fila

    Gosto de te ver por cá, volta depressa

    Qjs do Leãozão

    ResponderEliminar
  13. O novo blog é lindo e os textos continuam ótimos, relatos intrigantes e divertidos... Sempre vinha por aqui, mas nunca comentava, hoje venci a barreira do continente, risos. Gostei do texto, aqui no Brasil, também sofremos com a espera nos consultórios dentários e com dentistas mal-humorados, mas nunca soube de um caso desses (dos tomates inexistentes...) Creio que o fato do cliente em questão, apesar de ter, uma mina lhe partido os maxilares e arrancado quase todos os dentes, também ter-lhe rebentado na cara, passou batido, o que pesou mesmo, foram os tomates ou a falta deles...

    Muito agradável a sua Travessa, um abraço e boa semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dianamiga

      Fico muito feliz por te encontrar aqui. Adoro o Brasil e tenho muitos amigas e amigos por aí :-)))))

      Até nestas coisas (dentistas...) somos iguaizinhos. Aliás temos muitos dentistas brasucas (*) por cá. (*) Não se trata de desprimor, é apenas brincadeira.

      No que concerne os tomates, a coisa é mais complicada; sem eles um homem deve sentir-se todos os dias nu. Porém aqui é só texto para encher os pneus. Literaturices...

      E pronto, fico-me por hoje; por favor volta depressa...

      Qjs (queijinhos) = (beijinhos)

      Leãozão

      Eliminar
  14. Há muito tempo que me cruzo consigo em alguns blogues, principalmente no "Devaneios a Oriente".
    Depois, eu sei que há médicos que têm uma grande falta de respeito pelos doentes, mas mais de sete horas à espera? Só se o médico também estava indeciso entre enforcar-se, mandar-se da ponte, tomar raticida, dar um tiro nos miolos, ou ir tratar da boca dos doentes. Pelos vistos, optou por ir ganhar uns cobres, à custa dos seus pacientes. E se eram pacientes!
    Quanto ao senhor com mina ou sem mina, com dentes ou sem dentes, com testículos ou sem eles, tinha mais é que aguardar a sua vez. Afinal ele fora atingido por uma mina há mais de 40 anos, não no momento.
    Depois só mais uma coisinha. Meu nome é Elvira e não Elisa
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Elviramiga

      Pronto, o erro já está corrigido, mas mesmo assim peço desculpa do sucedido. Cruzávamo-nos no blogue do Coimbramigo onde por vezes colaborava mandando-lhe umas coisas giras

      Ele há médicos e... médicos. É costume dizer que ser médico é um sacerdócio costumo acrescentar pago... Este dentista é pura ficção, mas resulta de umas quantas experiências, más, que o autor viveu.

      Poizé; alguns pacientes eram impacientes, mas outros pacientes eram pacientes. O Monsiú de La Palisse ainda me cobra direitos de autor e juros; uma brincadeira vale o que vale, mas esta abusa.

      Deixe-se o dentista brocar e arrancar os dentes cariados ou mesmo realizar um implante quiçá uma ponte e vamos ao senhor de fato branco. Lá por o terem capado não devia ultrapassar os outros clientes. A ordem a quem a pratica, mesmo os amputados de órgãos inconvenientes.

      Gostei muito de te ver por cá; volta depressa.

      Qjs do Leãozão

      Eliminar
  15. Saltitando por entre blogues cheguei aqui e diverti-me, confesso! Ainda não li mais crónicas, mas presumo que sejam todas ótimas além de divertidas.
    A inteligência é a qualidade que mais aprecio nas pessoas, mas se adicionarmos o bom humor no uso correto da nossa língua aqui na blogosfera, e fora dela, então encontro um forte motivo para parar, ler e voltar.
    Terá sido ousadia minha entrar por aqui dentro, mas queria demonstrar o meu agrado e felicitá-lo por esta bem apanhada crónica da vida quotidiana.
    Virei brevemente para ler mais!
    Por entre o que mostro das minhas manualidades e recordações gosto de escrever e convido-o a visitar o meu humilde espaço:
    outrascoisasdat.blogspot.com
    Aquele abraço,
    Teresinha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Teresinhamiga

      Às vezes damos um pontapé numa lata de refrigerante e eis que aparece o tal génio dos pedidos... Não é bem o teu caso pois apenas saltitas. Mas olha que conheço muita gente que aos 74 anos ainda acredita no Papai Noel...

      Quero agradecer-te as palavras simpáticas (e exageradas) que dizes a propósito do que escrevo; mas sendo jornalista e escritor mal de mim se desse muitas calinadas...

      Fui chefe da Redacção do DN onde vivi 16 anos. E gostei muito. O mal é que quem os pagou foi a minha família. Felizmente ficou tudo sanado e a caminho dos 75 estou muito feliz com ela: Raquel, a minha mulher, três filhos (Miguel, Paulo e Luís) três filhas noras (Margarida, Veva e Estela) quatro netos (João, Rodrigo, Xavier e Vicente) e uma neta a Madalena... Todos bem, bons alunos e educados. Nisso reside a minha felicidade.

      Vou já visitar o teu cantinho e tenho a certeza de que vou gostar... :-)))

      Qjs do Leãozão

      Eliminar
  16. Venham mais que o povo gosta de ler.
    Isto do acesso tem que se lhe diga.
    O senhor deficiente era-o dos queixais ou da hortas?
    Se a consulta era de estomatologia não haveria lugar a concessão de prioridade.
    Nas compreende-se. Com o que é que ele havia de se entreter enquanto esperava a sua vez?
    Abraço, Leãozão.

    ResponderEliminar
  17. Agostinhamigo

    Verá-se..., se eu for capaz - acentuo: não disse capado - e estiver para aí virado, avinço.

    Poizé, o senhor preto de fato branco nem podia ficar a coçar os tomates... :-))) :-(((

    Abç do Leãozão

    ResponderEliminar
  18. Então, agora é para comentar aqui?

    Irra, andas sempre com a casa às costas e és mais célere do que o caracol!!

    Isto está muito trágico. Vou aguardar coisa mais soft.

    Beijos para o casal Antunes-

    ResponderEliminar
  19. Janitamiga

    Depois de milhentos avisos ainda te admiras que aqui devem postar-se todos os comentários... Não sou como o caracol, pois o alentejano quando chega a casa esmaga um caracol com a bota cardada e diz para o pobre ex-animal: Maldito bicho seguiste-me todo o dia!!!

    E não digo mais nada sua alentejana/portuense, a únoca que conheço

    O casal é Ferreira, a Raquel é só Ferreira envia-te bjs enquanto o eu Leãozão te remete qjs

    ResponderEliminar
  20. Polémicas à parte. Quem tem, tem. Quem não tem, já perdeu toda a oportunidade.

    Abraço
    SOL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Solamigo

      Perder a oportunidade
      é o pior para o homem
      pois em qualquer idade
      ou se os tem ou não os tem


      Abç do Leãozão

      Eliminar
  21. PEDIDO & AVISOS

    Maltamiga

    Hoje não dou resposta a ninguém; aliás foram poucos os comentários. E, como sabem. Quero sempre mais e mais…

    Venho fazer um pedido a todas e todos os bloguistas amigos e dar uma informação que, aliás, são três…

    Quero meter neste blogue o http://anossatravessa.blogspot.pt a coluna ADERIR A ESTE SITEo que significa ter muitos seguidores.

    Mas como sou um verdadeiro burrinformático não sei patavina sobre a maneira de o criar… Por favor ajudem-me para o pôr. Mas detalhadinho para eu entender; penso que não será preciso fazer um boneco no/s imeile/s que por certo me vão enviar. Mas, sei lá… A Taisamiga já me disse como fazê-lo, mas não fui capaz…Tirem-me desta ansiedade…

    Recordo que o meu imeile é ferreira20091941@gmail.com
    Muito obrigado

    Quanto às informações: a) Estou a finalizar os trabalhos necessários para o CONCURSO que muito em breve será anunciado; b) No próximo textículo dou uma de filosofia com o título DA VELHICE c) O A Travessa do Ferreira passa a ser apenas de arquivo, para salvaguardar qualquer “desastre” como os que já me aconteceram. Comentários e outros devem publicados aqui

    Leãozão



    ResponderEliminar
  22. Boa tarde, amigo! viver um dia de cada vez é excelente, viver uma hora de cada vez é maravilhoso, se não podemos mudar o mundo, temo que aceitar a impotência para o fazer, também não temos que deixar de pensar livremente e aproveitar as oportunidades que a a vida nos proporciona.
    Bom fim de semana,
    AG

    ResponderEliminar
  23. Gomesamigo

    Acho o teu comentário não excelente mas excelentíssimo!!!

    Se não formos capazes de viver de de acordo com o que dizes, nunca mais seremos alguma coisa; no contrário apenas seremos nada, zero. Que infelizmente é o que temos sido...

    Pode ser que não consigamos mudar o Mundo, mas tentar não entra no IRS...

    Abç

    Leãozão

    ResponderEliminar
  24. Maltamiga

    O meu neto João (22) resolveu-me o problema e libertou-ma "terrível ansiedade": Daulondou-me o ADERIR A ESTE SITE!!!!! Fabulástico!!!!!! Os netos, como os amigos, também o são para a ocasião...

    Assim já não será necessária a vossa ajuda que de qualquer modo agradeço ainda que não tivesse sido nenhuma - excepto a da Taísamiga como já sublinhei.

    Quanto às informações tudo como antes, quartel-general em Abrantes... :-)))

    Qjs & abçs

    Leãozão
    _______

    Agora já podem SEGUIR esta NOSSA TRAVESSA

    ResponderEliminar
  25. Oi, Henrique, vejo que as coisas estão, aos poucos, indo para o lugar. É... blogar dá trabalho, mas é gostoso.
    Uma boa semana.
    beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Taisamiga

      É sim senhora. Vou andando passo a passo. Muito obrigado. Abç ao Pedro

      Qjs do Leãozão

      Eliminar
  26. Hentiquamigo, finalmente vejo a minha cara nos seguidores :)
    Isto é que tem sido uma odisseia :D
    Quanto ao texto, fiquei com tanta pena do sr. preto que até esqueci a demora do estomatologista e demais intervenientes.

    Beijinhos para os amigos aí de casa :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fernandinhamiga

      Já não era sem tempo.... :-)))

      A quem o dizes - porra!!!

      Prontes, cada um tem o que merece; nada, não é bem assim: Mas palavra que se eu estivasse na lista de esperara ficava muito fo...oops, lixado

      Bjs da Raquel e qjs do Leãozão

      Eliminar
    2. Fernandinhamiga

      Já não era sem tempo.... :-)))

      A quem o dizes - porra!!!

      Prontes, cada um tem o que merece; nada, não é bem assim: Mas palavra que se eu estivasse na lista de esperara ficava muito fo...oops, lixado

      Bjs da Raquel e qjs do Leãozão

      Eliminar